segunda-feira, 19 de agosto de 2019

DAS DIABRURAS JACOBINAS EM VERSÃO NEW AGE

Depois do suicídio demográfico europeu, desenhado pelos progressistas (actuais representantes encartados do jacobinismo) e promovido pelos idiotas úteis do costume (direitinha demo-liberal tola), a imigração islâmica limitar-se-á a substituir a desaparecida população e a ocupar o desertificado território. Assim se mata a nossa duplamente milenar Civilização Cristã. Esqueceram-se contudo que o islão os odeia mais a eles, ateus, do que a nós, crentes. Talvez portanto o tiro lhes venha a sair pela culatra.

DO SIGNIFICADO NÃO REVELADO DA ESCRITA

Queridos leitores dizem-me não compreender certas coisas que aqui escrevo. Não vos preocupais, pois determinadas vezes nem eu próprio percebo o que me sai da pena. Porém, cheira-me que mais tarde ou mais cedo esses estranhos escritos ganharão sentido.

DA LONGA DISTÂNCIA ENTRE AS PALAVRAS DITAS E ESCRITAS

Quem me conhece bem, sabe que vivo a vida com humor e paixão (coisas que aliás caminham sempre juntas, mas essa é outra conversa). Vai daí, aconselham-me certos amigos a utilizar mais vezes na escrita a ironia que habitualmente uso em sociedade. Não vale a pena. Desprevenidos e empedernidos leitores poderiam pensar que era a sério...

DEVERES DA VIDA SOCIAL EM PLENO VERÃO

Na silly season deve-se lançar na praia um sound bite novo por dia.

FAÇA-SE LUZ

Uma casa sem livros é como uma praia sem sol. 

quinta-feira, 15 de agosto de 2019

IMPÉRIO DAS NAÇÕES

Agora, que até o assustado sistema mundialista já fala em internacional nacionalista, dá-me gozo recordar que sempre disse e escrevi, aqui e em toda a parte, há décadas, que este século seria o do triunfo definitivo dos nacionalismos. E também sempre acreditei que os ventos de mudança viriam das nações do leste da Europa. De facto, Rússia, Polónia, Hungria, República Checa, Eslováquia, e etc. e tal, não me deixaram ficar mal, reencontrando-se com as suas diferentes mas semelhantes identidades culturais e provando que é possível criar uma sinergia comum em prol da verdadeira Europa. Confesso contudo que não esperava que a primeira nação ocidental a despertar e a dar o sinal fosse a Itália; mas, afinal, bem vistas as coisas, essa é a tradição. 

DO SAGRADO E DO PROFANO EM PLENO VERÃO

Em Portugal, o Verão tem em paralelo festas sagradas e festas profanas. Existe assim a possibilidade de os crentes se divertirem, depois de cumpridos os seus deveres religiosos, e de os ateus sentirem o apelo da espiritualidade católica.
O sítio onde veraneio é paradigmático disto, porque rico em ambos os tipos de celebrações, exemplar no respeito mútuo e fértil em saudáveis sinergias e sínteses. Ficamos todos a ganhar.

FESTA DO DIA

Solenidade da Assunção da Bem-Aventurada Virgem Maria; ou, popularmente, Dia de Nossa Senhora da Assunção.

quarta-feira, 14 de agosto de 2019

AINDA A PROPÓSITO DE ALJUBARROTA

S. Jorge
(+ c. 303)
Mártir. Padroeiro Protector de Portugal desde D. Afonso Henriques.
O auxílio prestado pelo Duque de Lencastre, filho do Rei Eduardo III de Inglaterra, ao nosso Rei D. Fernando I na luta contra Castela trouxe-nos daquele País aliado um incremento de devoção a S. Jorge. O grito de «S. Jorge» substituiu para os Portuguese na guerra o de «S. Tiago», até então usado em toda a Península Ibérica. No lugar onde esteve içada a Bandeira Portuguesa por ocasião da Batalha de Aljubarrota (1385) fundou-se em 1388 uma ermida dedicada a S. Jorge. Em 1387 começou a incorporar-se na Procissão do Corpo de Deus, por ordem de D. João I, a Imagem do mesmo Santo a cavalo.

Nota: O Rei Eduardo III de Inglaterra tinha fundado em 1330 a célebre Ordem dos Cavaleiros de S. Jorge. Estes são conhecidos também pelo nome de Cavaleiros da Jarreteira.

DA VERDADEIRA MEMÓRIA HISTÓRICA

14 de Agosto:
1318 — Fundação da Ordem de Cristo.
1385 — Batalha de Aljubarrota.
1433 — Morte de D. João I.

PORQUE HOJE É DIA DA VITÓRIA DE ALJUBARROTA

segunda-feira, 12 de agosto de 2019

VIDA VISTA E VIVIDA NUMA PRAIA TRADICIONAL

Há claramente ciclos de cerca de vinte anos na vida humana.
Com base na observação física e psicológica da espécie constato que até aos vinte anos os filhos passam as férias com os pais. Aos vinte, desaparecem. Aos quarenta, estão regressados, também eles já pais. Aos sessenta, estão livres das responsabilidades da paternidade, com os filhos criados, e são avós descontraídos. Aos oitenta, serão sábias figuras patriarcais e reverenciais, para toda a família. Aos cem, chegam os abençoados por Deus.
A luz solar ajuda a ver com mais clareza tudo isto.
Experimentem. 

DA EVOLUÇÃO ESTIVAL DA BLOGOSFERA

Quando os blogues apareceram, na década passada, o Verão correspondia a um deserto de leitores. Agora, na era dos smartphones com acesso à net, estes meses são, por estranho que possa parecer, dos que trazem mais visitantes.

DO TWITTER

Participo no Twitter desde Maio deste ano com o objectivo único de seguir pessoas relevantes do Mundo inteiro. Tem-me sido muito útil o saber ler em francês e inglês, ferramentas (como se diz agora) adquiridas nos bancos da velha escola dos bons tempos do pré-desastre nacional. Refiro-me a personalidades que o jornalixo politicamente correcto ignora obedecendo à mão invisível do sinistro dono globalista. A coisa triste é constatar que Portugal está a milhas das Nações que já ultrapassaram este nojento bloqueio dos merdia elegendo chefes de Estado ou de Governo às direitas e cujo principal desígnio é servir os seus Povos. Ora espreitai: https://twitter.com/JoaoMarchante.

quinta-feira, 8 de agosto de 2019

LITERATURA À BEIRA-MAR

Passo férias, curiosamente desde o ano em que iniciei este blogue, numa velha vila piscatória onde se cultiva a leitura. Dos característicos habitantes locais aos tradicionais banhistas lusitanos, passando pelos mais recentes turistas nórdicos, todos têm este nobre hábito. Aliás, já Ramalho Ortigão escrevia, surpreendido, na sua deliciosa obra As Praias de Portugal que nesta terra, inesperadamente, espreitando para o interior das casas se vislumbravam livros em estantes.  

ESTAÇÕES DO ANO E ESTADOS DE ALMA

Veraneio num lugar onde se sucedem as quatro estações num dia. Um sítio assim faz com que se vivam quatro estados de alma em vinte e quatro horas. Experiência só aconselhável a espíritos fortes.

LIVROS ADQUIRIDOS E LIDOS À BEIRA-MAR

Já se sabe que tenho a sorte de não vir carregado para férias com livros pois veraneio numa estância balnear de forte tradição piscatória mas também cultural onde desde sempre houve vendas de livros manuseados em diversos lugares. Contudo, neste estio, ainda só consegui comprar três volumes, porque vários dos locais atrás referidos encerraram ou deixaram de ter literatura. Em breve revelarei aqui as novidades bibliográficas, esperando não me ficar apenas por três...  

GOSTO E DESGOSTO EM AGOSTO

Princípio e fim da ínclita Dinastia de Avis: gloriosa Batalha de Aljubarrota (14 de Agosto de 1385) e trágica Batalha de Alcácer-Quibir (4 de Agosto de 1578).

quarta-feira, 31 de julho de 2019

DA POLÍTICA COMO ARTE

A Política é feita de inspiração, instinto e intuição, características estas próprias das pessoas cultas. Por tudo isto, não se trata de uma Ciência mas sim de uma Arte.

SURFERS E BLOGGERS

Surfers bloggers são os navegadores e descobridores do século XXI.

PORQUE RECORDAR É PREPARAR O FUTURO

DA EXTREMA-ESQUERDA CÁ DO BURGO

Não compreendo a insistência em catalogar a extrema-esquerda cá do burgo de chic quando na verdade o galicismo que melhor lhe assenta é parvenu.

DESTES JÁ NÃO HÁ — HÉLAS!

Hoje morreram: um dos meus Santos preferidos — S. Inácio de Loyola, Fundador da Companhia de Jesus (País Basco, Castelo de Loyola, 31.05.1491 — Itália, Roma, 31.07.1556) — e um dos meus Reis preferidos — D. João V, O Magnânimo, Rei de Portugal (Portugal, Lisboa, 22.10.1689 — Portugal, Lisboa, 31.07.1750).

quinta-feira, 25 de julho de 2019

25 DE JULHO DE 1139

O Milagre de Ourique, 1793
DOMINGOS SEQUEIRA (1768 — 1837)
Óleo sobre Tela, 270 x 450 cm

DEUS, PÁTRIA E REI

No dia em que completou 30 anos de idade — 25 de Julho de 1139 —, D. Afonso Henriques derrotou os mouros (árabes muçulmanos) na Batalha de Ourique. Era dia de Santiago e Cristo apareceu ao nosso Rei. O aniversário real, a batalha e o milagre assinalam-se hoje, portanto. Veremos se os me(r)dia  cá do rectângulo — ateus, anti-nacionais e anti-monárquicos até à medula — falam da tripla efeméride. Esquecer-se-ão, certamente. Talvez porque a coisa seja politicamente incorrecta em demasia.