sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

PROPOSTA POLÍTICO-ECONÓMICA SOBRE OS FERIADOS RELIGIOSOS

Os feriados religiosos serão gozados apenas pelos católicos, pois só estes cidadãos têm Algo (Solenidade de Santa Maria, Mãe de Deus; Sexta-Feira Santa; Páscoa; Corpo de Deus; Assunção de Nossa Senhora;  Todos os Santos; Imaculada Conceição; Natal do Senhor; etc.) a celebrar nesses dias.
Além de acabar com a hipocrisia e repor a justiça nesta matéria, esta medida trará enormes vantagens para a produção nacional porque a restante população trabalhará nessas datas.

quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

IN ARTE GAUDIUM

Tenho, desde a adolescência, a mania das tertúlias culturais. Assim sendo, e como já não vou para novo, já fiz parte de dezenas. Recentemente, fui convidado para uma bem original, na medida em que as suas sessões têm três fortes componentes. Trata-se, nada mais nada menos, duma tertúlia gastronómico-artístico-musical, com jantar, palestra e concerto. Bravo!  

BLOGUE COM BOM GOSTO

Pintura Naturalista Portuguesa, de Francisco Braz Teixeira.

sábado, 3 de dezembro de 2016

DO RENASCIMENTO DAS NAÇÕES E DO REALINHAMENTO INTERNACINAL

Escrevi e disse — aqui e em toda a parte — que o Século XXI seria marcado por um novo despertar das Nações, fartas do mundialismo (o melhor nome para a globalização apátrida). Era também óbvio, cá para mim, que essa ruptura seria feita à direita, conservadora e nacionalista, e sempre o afirmei. Contudo, surpreendeu-me ter esta nova revolução conservadora começado pelo mundo anglo-saxónico (Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda do Norte e Estados Unidos da América), embora tendo previsto o já confirmadíssimo ressurgir da grande Rússia conservadora e ainda da Índia nacionalista e do Japão tradicional. Tudo apontava também para a França  poder ter sido uma precursora desta matéria, na Europa, mas foi, entretanto, ultrapassada por várias outras Pátrias europeias e prepara-se, em breve, para ver ainda mais outras passarem-lhe à frente, antes da, há muito esperada, vitória final de Marine Le Pen. De seguida, é certinho, haverá um realinhamento internacional destes Países: a Rússia liderará, naturalmente, uma aliança dos Países eslavos com regimes conservadores e nacionalistas; os renascidos Reino Unido e Estados Unidos darão as mãos; fica só a faltar saber quem liderará as necessárias alianças de Estados nacionais conservadores europeus, de matriz latina, por um lado, e germânica, por outro, no pós-União Europeia, tudo porém apontando para a França nacional e a alternativa Alemanha do futuro. Prevejo assim vários blocos de Países — compostos por Nações soberanas, com afinidades Culturais e interesses geoestratégicos comuns —, essencialmente defensivos e protecionistas. Contudo, cheira-me que as relações internacionais neste século serão prioritariamente bilaterais, Estado a Estado. Por fim, todos (os citados mais os das entrelinhas), com Índia e Japão incluídos, sem esquecer a Síria e o Irão, terão, se forçados a isso por condições exteriores, de entender-se, para travar a China e derrotar o avanço do Islão sunita.  

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

RECORDANDO A RESTAURAÇÃO DA INDEPENDÊNCIA NACIONAL


domingo, 27 de novembro de 2016

LEMBRETE (PARA AJUDA) AO REI DE ESPANHA

Olivença é terra portuguesa e os patriotas portugueses querem vê-la reintegrada rapidamente em Portugal.

quinta-feira, 24 de novembro de 2016

RECEITA LITERÁRIA PARA A ESCRITA NA INTERNET

Intertextualidade nas entrelinhas e hipertextualidade em doses homeopáticas. 

domingo, 20 de novembro de 2016

A CÉSAR O QUE É DE CÉSAR

Devemos obediência ao Papa nas matérias de Fé, mas não nos temas de Política. Ainda bem que assim é, pois raramente concordo com ele nestes assuntos. Graças a Deus.

quinta-feira, 17 de novembro de 2016

DO PODER DA COMUNICAÇÃO: TEXTO, CONTEXTO E PRETEXTO

Alguns dos melhores aforismos que li desde sempre e em toda a parte encontrei-os ditos por um extraordinário personagem dandy aristocrático no fantástico romance romântico O Retrato de Dorian Gray de Oscar Wilde.

TRÊS PILARES DA IDENTIDADE CULTURAL DO OCIDENTE

SÓCRATES (470 A. C. — 399 A. C.) — Filósofo não escritor, influenciou os dois maiores Mestres da Filosofia Grega: Platão e Aristóteles.
PLATÃO (428 A. C. — 347 A. C.) — A partir de Sócrates, cria uma Filosofia Idealista que será bebida na sua essência por Santo Agostinho e seus discípulos, incluindo os fundadores da Escola Franciscana.
ARISTÓTELES (384 A. C. — 322 A. C.) — Autor de uma Obra de Filosofia inigualável — o que lhe valeu ficar conhecido, por antonomásia, como «O Filósofo» —, a qual virá a ser decisiva para o Pensamento de São Tomás de Aquino.

quarta-feira, 16 de novembro de 2016

PARA A COMPREENSÃO DA GEOPOLÍTICA DO FUTURO

Os regimes conservadores nacionalistas do século passado foram expansionistas, os deste século serão proteccionistas.

segunda-feira, 14 de novembro de 2016

PARA A COMPREENSÃO DA VERDADEIRA AMÉRICA

Cinematografia é o conjunto de filmes produzidos por um País e filmografia é o conjunto de fitas realizadas por um cineasta. Contudo, certas filmografias são mais reveladoras da identidade cultural de um Povo do que as suas cinematografias. Assim, a matriz profunda dos Estados Unidos da América encontra-se toda esplanada na obra completa de três autores, respectivamente do Cinema Mudo, Sonoro e Moderno: D. W. Griffith, John Ford e Clint Eastwood.

sábado, 12 de novembro de 2016

O SOBRESSALTO DO SISTEMA MERDIÁTICO

Dá gozo ver o ar aflito com que pulhíticos, jornaleiros, comentadores expertos e gurus de sondagens dão o dito por não dito em relação à América profunda que agora despertou e que eles sempre desprezaram ou  fingiram não existir.

quinta-feira, 10 de novembro de 2016

REVOLUÇÃO CONSERVADORA EM MARCHA

Putin na Rússia, Trump na América. Seguir-se-á a Europa. Pergunto-me quem liderará as revoluções nacionais europeias.

quarta-feira, 9 de novembro de 2016

NOTÍCIAS DA AMÉRICA

O patriotismo realista derrotou o mundialismo utópico. Três décadas depois, foi reposta a ordem tradicional dos Estados Unidos da América. Graças a Deus.

terça-feira, 8 de novembro de 2016

SAUDADES DO QUINTO IMPÉRIO QUE SERÁ DO ESPÍRITO E NOSSO

Lisboa tem finalmente uma estátua de Dom Nuno Álvares Pereira. É da autoria do escultor Augusto Cid e foi inaugurada no dia litúrgico de São Nuno de Santa Maria (6 de Novembro). Situa-se no Jardim Ducla Soares (desenhado pelo arquitecto paisagista Gonçalo Ribeiro Telles em 1950), que enquadra a Capela ou Ermida de São Jerónimo (da autoria de mestre Boitaca e construída por mestre Rodrigo Afonso em 1514) e que se encontra ao cimo da Avenida Torre de Belém. O simbólico lugar não poderia portanto ser mais à medida do Santo Condestável

domingo, 6 de novembro de 2016

NOS 150 ANOS DA MORTE DO ÚLTIMO REI LEGÍTIMO E TRADICIONALISTA


sexta-feira, 4 de novembro de 2016

ICONOCLASTAS À SOLTA NA CAPITAL

Não bastava terem destruído a Calçada Portuguesa, conseguiram fazer desaparecer o Brasão de Armas de Lisboa representado em muitos desses magníficos trabalhos artísticos.

quinta-feira, 3 de novembro de 2016

MONICA BELLUCCI EM LISBOA

Sabem bem os meus atentos leitores que sou desde sempre grande admirador de Monica Bellucci. Facto aliás documentado numa assinalável quantidade de mensagens aqui publicadas (ei-las). Contudo, juro que sou  — infelizmente — alheio à sua vinda para Lisboa. 

quarta-feira, 2 de novembro de 2016

DOS SENTIMENTOS

Só tem desgostos quem experimenta a felicidade.

DA MÚSICA

A música acompanha-nos ao longo das várias idades: desperta emoções na juventude e provoca recordações na maturidade. Devido a isso, gera as mais fortes afinidades.

DA VOZ DO INVISÍVEL DONO

Tenho para mim que os estrangeirados, mesmo os bem disfarçados, se apanham pela boca, como os peixes, devido ao seu vocabulário. Sempre me arrepiei todo ao ouvir: «implementar», «deslocalizar», «complicado», «incontornável», «sustentável», «assertivo», «evento», «elencar», «alavancar», «socialite» (o que é esta merda?). Recentemente, descobriram um novo anglicismo, o qual me dá vontade de vomitar: «resiliência». Bem sei que os donos deles, que residem no outro lado do Atlântico, usam essas palavras; mas, na versão original. Escusavam os deste lado de ser tão deslumbradamente parolos e poderiam tentar encontrar correspondências na Língua Portuguesa para esses extraordinários conceitos anglo-saxónicos. Porém, isso equivaleria a supormos que os provincianos a que temos direito pensam pela sua própria cabeça, o que manifestamente não acontece. 
  

CINEASTAS DE SALVAÇÃO

De lá para cá; ou seja, de Oriente para Ocidente:
Ozu, Tarkovsky, Dreyer, Bresson, Oliveira.

DA REALIZAÇÃO DAS VISÕES

Ando aqui há quase dez anos a repetir sempre as mesmas coisas; mas, de maneiras diferentes. Finalmente, quase todas se tornaram realidade — as más e as boas.

DEPURAR (NA ARTE COMO NA SOCIEDADE)

Depuração rima com repetição. Isto é: há que peneirar, peneirar, até restar apenas o essencial.