quinta-feira, 26 de janeiro de 2023

DA MÚSICA

Enquanto Euterpe não me inspira a ponto de criar eu um blogue dedicado exclusivamente a assuntos musicais, onde possa tocar discos e até exibir vídeo-clips, estou no Spotify.
Abri uma conta nesta plataforma com o objectivo único de fazer uma playlist para passar na inauguração de À Luz das Raparigas em Flôr.
Assim foi, e a referida lista de reprodução cumpriu o seu desígnio.
Vai daí, entusiasmei-me; e, entretanto, já alinhei outras doze playlists!
Estão lá todas, abertas ao público. Ide ouvi-las, com orelhas de escutar. 
link  (o qual, vá-se lá saber por que mistérios tecnológicos, não consigo pôr aqui com híper-ligação) é o seguinte:
https://open.spotify.com/user/31oonm7wnaf3fhx36yesityo6qya?si=588bbbc2462e4ba2&nd=1   

sábado, 21 de janeiro de 2023

DEZASSEIS ANOS DE ETERNAS SAUDADES DO FUTURO

É hoje! Para assinalarmos convenientemente a data, traremos aqui várias novidades, muito em breve. Stay tuned!

sexta-feira, 20 de janeiro de 2023

NOTA EDITORIAL

Os meus mui queridos leitores mais antigos, alguns dos quais da primeira hora, estranharão às vezes ver uma mensagem que se lembram de já ter lobrigado algures lá atrás no blogue. Não estou gagá, nem muito menos a gozar convosco, logo com vós outros, que me seguem, há mais de uma década e meia, no Eternas Saudades do Futuro. O que se passa é que republico —  reeditados, ou não, que é como quem diz «revistos e aumentados» — certos escritos pretéritos a fim de que a gente nova que aqui arriba pela primeira vez possa também lê-los; pois, já se sabe, a juventude — e é fundamentalmente de jovens, ao que sei, que se trata — não tem pachorra para ir consultar arquivos do passado, mesmo quando são do Futuro. 

PROBLEMÁTICO PARADOXO

Embora prezando ambos bastante o valor da identidade nacional, um culto cavalheiro português e um culto cavalheiro francês (ou inglês, alemão, italiano, etc.) sentem mais afinidades entre si do que com a ignorante gente dos seus próprios países.
Este terrível facto é mostrado magistralmente por Jean Renoir na sua obra-prima La Grande Illusion e embora apresentado de forma subliminar constitui cá para mim o tema principal da fita.

DA TRADIÇÃO

A História é uma imortal e sábia senhora que mais ou menos de cem em cem anos volta a pôr as Nações no rumo da Tradição.

AINDA E SEMPRE O SEBASTIANISMO

Ser sebastianista é ter saudades do futuro.

BIBLIOGRAFIA SEBASTIANISTA

Poesia e Filosofia do Mito Sebastianista (2 Volumes), de António Quadros, Colecção de Filosofia e Ensaios, Guimarães & C.ª Editores, Lisboa, 1982.

Do Direito ao Império em D. Sebastião, de Paulo Teixeira Pinto, Edições Universidade Livre, Lisboa, 1985.

DO DUPLO SEBASTIANISMO COM QUINTO IMPÉRIO E TUDO

Hoje morreu S. Sebastião e nasceu D. Sebastião.

AVISO À NAVEGAÇÃO CINÉFILA

Para estar a par do que verdadeiramente interessa na actualidade cinematográfica internacional, passei a usar o Twitter. Adoptei esta plataforma para seleccionar as notícias sobre cinema - quais recortes de imprensa, ao estilo old school -, e destacá-las republicando-as. Faço isso aqui: https://twitter.com/JoaoMarchante. Se for cinéfilo, não hesite em seguir-me... Arrisco dizer que vai gostar do que irá ver, ouvir e ler nas minhas partilhas.

sexta-feira, 6 de janeiro de 2023

A CADA QUAL OS SEUS QUADRANTES

Desde pequenino, sempre preferi a moral cristã, o amor à pátria e a estética monárquica, à triste ética republicana.

DIA DE REIS E DA EPIFANIA DO SENHOR

Epifania relembra a visita e os presentes a Jesus Cristo em Belém de três Reis Magos que representam o Mundo: Melchior (Europa), oferece ouro; Gaspar (Ásia), oferece incenso; Baltazar (África), oferece mirra.
Para celebrarmos enquanto os republicanos, laicos e socialistas que nos desgovernam deixarem, pois eles detestam Reis, não podem ver o Menino Jesus, nem pintado, e fogem, como o diabo, da Cruz. 
Boa Festa a todos os leitores!

terça-feira, 20 de dezembro de 2022

SANTO NATAL E BOM ANO NOVO

O Autor deseja um Santo Natal e um Bom Ano Novo aos seus Leitores.

Nota: Votos extensíveis aos leitores dos restantes blogues individuais - Aforismos, As Aventuras de Johnny Fire, Da Genealogia e Da Sétima Arte -, que em breve serão actualizados com anexins, contos,  estudos e recensões.

NO OBSERVATÓRIO DO HEMISFÉRIO NORTE

Amanhã será o dia do Solstício de Inverno. A partir daí, poderemos ter o prazer de ver o Sol pôr-se sucessivamente mais tarde, a cada jornada que passa. E confirmar assim, em mais um ciclo anual da Natureza, o triunfo da luz sobre as trevas.

EFEMÉRIDE BLOGOSFÉRICA

Fez ontem 16 anos que me estreei como blogger. Foi com um post no blogue colectivo do meu Liceu.

sexta-feira, 9 de dezembro de 2022

DAS ARTES VISUAIS E SONORAS...

Fui entrevistado, por uma mestranda da área de Artes Visuais (aproveito para agradecer a quem mas envia - já não é a primeira nem a segunda -, pois gosto de partilhar o que sei com jovens que querem saber), no âmbito da sua tese, que me perguntou, entre muitas outras coisas, qual a obra que destaco, em cada década (fez-me lembrar uma metodologia que aprecio e consagrada definitivamente pelo BFI), da minha produção artística. Deixo aqui, já de seguida, a minha resposta, que hoje foi esta mas amanhã poderia ser outra...
Décadas:
1980 - Zonas Intermédias (vídeo, 1989).
1990 - Vejo-te II (fotografia n.º 5 da exposição individual «Noite Americana», 1999).
2000 - My Private Peep-Show (3 fotografias em caixa-de-luz na exposição colectiva «19 Sentidos Contemporâneos», 2004).
2010 - Fotografar (fotografia n.º 4 da exposição individual «Foto-Síntese», 2012).
2020 - I Love Rock 'n' Roll V, fotografia n.º 20 da exposição individual «À Luz das Raparigas em Flôr», 2022).

domingo, 4 de dezembro de 2022

A CADA ARTISTA A SUA FORMA DE EXPRESSÃO E O SEU TEMA

A minha arte é feita em fotografia e é sobre outra arte: o cinema; e, assim sendo, é também sobre pintura, escultura, arquitectura, música, dança e poesia. 

sexta-feira, 2 de dezembro de 2022

DOS CONTRIBUTOS BRITÂNICOS PARA A SÉTIMA ARTE

Truffaut dizia que Cinema e Inglaterra não combinavam. Há que enquadrar a famosa frase na tradicional picardia entre as nações dos dois lados da Mancha, pois é sabido que o genial cineasta francês venerava Hitchcock. Já agora, e a propósito, vêm-me também à cabeça, ao correr das teclas, os nomes de Lean, Powell, Frears, Greenaway, Scott, Reed, Schlesinger, Ritchie, Branagh, Gilliam, Roeg, McQueen. Contudo, bastaria o rigoroso trabalho do British Film Institute, para o Reino Unido ter lugar cativo na Sétima Arte. Portanto, fica aqui, acabadinha de vir a lume, e enquanto não é publicada na revista Sight & Sound (órgão oficial do referido instituto), a lista, desta década, elaborada pela citada instituição, que enumera, segundo o seu critério, os 100 melhores filmes da História do Cinema. Eis o link.

quinta-feira, 1 de dezembro de 2022

1.º DE DEZEMBRO DE 1640

Neste saudoso dia 
De Restauração da Monarquia,
Porque falta
De novo
Cumprir-se Portugal,
Ocorre-me perguntar:
- Para quando a V Dinastia?

quarta-feira, 30 de novembro de 2022

DO VISIONAMENTO E ANÁLISE DE FILMES

Costumo sugerir, aos meus alunos e aos meus amigos cinéfilos, sessões duplas. Nestas, podem ver duas fitas seguidas. Entenda-se ver no sentido tradicional europeu que vem de Aristóteles e que é sinónimo de compreender. Por isso se diz «olhar com olhos de ver» e se pergunta «estás a ver?». Escolham-se então dois filmes: A e B. Este e pode ser copulativo ou disjuntivo, sendo que da segunda forma a coisa se torna mais interessante. No primeiro caso, as películas são complementares entre si; no segundo, serão, à partida, bastante distantes, obrigando-nos assim a lançarmos uma ponte entre ambas para depois se construir uma síntese mental. Portanto, remato com um delicioso paradoxo: cá para mim, a melhor análise de filmes resulta de um exercício de síntese. 

domingo, 20 de novembro de 2022

PARA A COMPREENSÃO DA ARTE

Texto do catálogo da minha exposição de fotografia de 1999. Depois de todos estes anos, já lá está tudo. Coisa estranha esta de certos artistas comporem as suas obras como infinitas variações sobre o mesmo tema... Agora, à distância de um clique: Imediatamente antes, de Leonor Nazaré.

quinta-feira, 17 de novembro de 2022

REALIZADOR DO DIA

Perguntam-me muitas vezes qual é o meu realizador preferido. Respondo sempre a mesma coisa: tem dias. Quer isto dizer que há factores subjectivos que variam de dia para dia e que influenciam a minha decisão. Por exemplo, hoje o meu realizador preferido é Martin Scorsese.  

PALAVRA E FOTOGRAFIA

Entretanto, o brilhante texto que Sebastião Calheiros Veloso escreveu para o catálogo da minha mais recente exposição de fotografia já pode ser lido no meu site oficial.

sexta-feira, 11 de novembro de 2022

CINEMA E MATEMÁTICA

Entre 1895 e 1995 - nos primeiros cem anos da História do Cinema - foram feitos cerca de 200.000 filmes. Destes, 100.000 são mudos e 100.000 são sonoros. Dos mudos, metade deles estão (ainda) desaparecidos. Temos assim um total de 150.000 fitas. Adiante-se que 30.000 são lixo ou pouco mais. Para os 120.000 que restam, poderia ser feito um dicionário com uma entrada para cada um, o que daria uma obra com quarenta volumes, de mil páginas cada, ou coisa que o valha. Contudo, parece-me de melhor senso  aplicar aqui a grelha dos 10%. Desta maneira, ficamos com 12.000 películas, as quais merecem todas ser visionadas e analisadas. A tentativa mais aproximada disso que conheço é o Dictionnaire des Films, da Larousse, de 1995, que tem 11.000.  Certo é que obrigatórios de se ver - independentemente do simbolismo do número - serão 1.000, tarefa que cada um fará ao seu ritmo, o qual pode variar de 1 por semana até 2 por dia: no primeiro caso, atingirá o valor em, mais ou menos, vinte anos; no segundo, o objectivo cumprir-se-á em menos de dois anos. 

DIA DE SÃO MARTINHO

Medite-se na vida do santo, comam-se castanhas e beba-se vinho. Sempre gostei da aliança ente sagrado e profano!

domingo, 6 de novembro de 2022

AINDA E SEMPRE NUN'ÁLVARES

Lisboa ganhou finalmente em 2017 uma estátua de Dom Nuno Álvares Pereira. É da autoria do escultor Augusto Cid e foi inaugurada no dia litúrgico de São Nuno de Santa Maria (6 de Novembro, fazendo assim hoje 5 anos). Situa-se no Jardim Ducla Soares (desenhado pelo arquitecto paisagista Gonçalo Ribeiro Telles, em 1950), o qual enquadra a Capela ou Ermida de São Jerónimo (da autoria de mestre Boitaca e construída por mestre Rodrigo Afonso, em 1514), e encontra-se portanto ao cimo da Avenida Torre de Belém. O simbólico lugar não poderia pois ser mais à medida do representado, desde sempre chamado, ainda antes de ser beato e muito menos canonizado, Santo Condestável.